SAÚDE

Goiânia já autuou mais de 2,1 mil donos de imóveis por causa de focos do mosquito da dengue
Multas foram dadas após a prefeitura visitar mais de 48 mil imóveis, em um período de pouco mais de um mês. Na capital, quem desrespeitar pode ter de pagar até R$ 26 mil, dependendo do tamanho do imóvel.


Foto: Reprodução /EPTV

Com multas que podem chegar a até R$ 26 mil, Goiânia já autuou mais de 2,1 mil donos de imóveis por causa de focos do mosquito da dengue. As multas foram dadas após a prefeitura visitar mais de 48 mil imóveis, em um período de pouco mais de um mês, durante uma operação de combate ao Aedes aegypti.

A Operação Goiânia Contra o Aedes foi realizada de 27 de abril até 3 de junho deste ano. Neste período, ao todo, 48.768 imóveis foram visitados. Destes, 2.112 foram autuados, 196 receberam intimações e em 72 locais foram feitas remoções com a equipe da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em plena estiagem, a regição centro-oeste registrou a maior incidência da doença no Brasil, sendo 1.473 casos para cada 100 mil habitantes. De 2 de janeiro até 28 de maio deste ano, Goiânia já soma 40.607 casos.

Segundo a prefeitura, a multa pode chegar a R$ 26 mil, dependendo do tamanho do imóvel autuado. O Corpo de Bombeiros identifica os locais com acúmulo de lixo e água parada com o uso de drones. Depois, a visita é feita pelos fiscais da saúde, Guarda Civil e até um chaveiro.

A prefeitura tem autorização da Justiça para entrar em imóveis abandonados e, onde não tem morador, é grande o risco de proliferação do mosquito da dengue.

Em um imóvel abandonado, visitado pela equipe de reportagem da TV Anhanguera, uma água que cai do ar condicionado está empoçada e se tornou um criadouro do mosquito. No entanto, o problema era no comércio do prédio vizinho, que foi notificado pelos fiscais da prefeitura.

O comerciante William Wilker, que é responsável pelo comércio, disse que está providenciando uma pessoa para arrumar o vazamento.

"Estou providenciando pra pessoa vir e tirar esse vazamento lá que tá incorreto, pra não tá acontecendo esse tipo de coisa. A gente não quer atrapalhar a gente e nem os vizinhos, pegar essa doença", disse.

O gerente de fiscalização de Vigilância e Zoonoses da Prefeitura de Goiânia Jadson Moreira Lima reforça a necessidade de prevenção contra o mosquito.

"É inadmissível nós perdendo a guerra para um mosquito. Simplesmente, por uma falta de cuidado. É uma falta de higiene. É uma falta de pelo menos uma vez por semana ter esse cuidado e preservar a sua saúde e preservar a sua família", disse.

Prevenção

A secretária administrativa Nathália Capra Ribeiro pegou dengue pela primeira vez este ano. Por isso, ela disse que ela e o marido estão sempre de olho em lugares que possam ter focos do mosquito transmissor da doença. Para isso, o casal usa até um drone.

"Não é uma boa experiência. É muita dor no corpo. A gente tem medo de pegar de novo porque a gente vê os mosquitos voando. Existe um foco grande que a gente já presenciou", disse Nathália.

A médica Christiane Kobal, presidente da Sociedade Goiana de infectologia, disse que neste ano a maioria dos casos de internação são mais graves.

"Este ano nós temos vivenciado nos hospitais desses casos mais graves. É uma virose que ela pode ser grave, nós não temos um antiviral pra tratarmos o paciente. Então, nós devemos não ter os casos né", disse a médica.

Superintendente de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás, Flúvia Amorim disse que, mesmo sem chuva, a transmissão da doença continua em alta e, por isso, é importante que as pessoas fiquem vigilantes para combater o mosquito.

"Mesmo sem chuva a gente continua tendo transmissão. O mosquito entra para dentro de casa e acaba descobrindo um lugar que acumula água. A gente vai pela orientação, quando a orientação não funciona a gente tem que usar essas outras ferramentas de punição pra ver se a pessoa muda o comportamento", disse.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



SAÚDE  |   20/06/2022 14h09

Goiânia - GO
 




SAÚDE  |   05/06/2022 19h52

Goiânia - GO
 

SAÚDE  |   01/05/2022 08h53

Goiânia - GO