SEGURANÇA

Alunas que denunciaram abuso sexual após palestra em escola apresentavam sinais de tristeza e estavam retraídas, diz diretora
Cinco meninas do mesmo colégio relataram abusos. Meninas têm, em média, 13 anos, e não voltaram a estudar após fazerem denúncia


Uma das palestras em uma escola de Campo Limpo de Goiás - Foto: Divulgação/ PM GO

As alunas que denunciaram sofrer abuso sexual após assistirem uma palestra sobre o tema no Colégio Estadual Rui Barbosa, em Campo Limpo de Goiás, já apresentavam sinais de tristeza e estavam retraídas há alguns meses, conforme contou a diretora, Paula Augusta do Nascimento.

Todas as meninas, que têm, em média, 13 anos de idade, frequentam o 8º ano do Ensino Fundamental. Elas não voltaram a estudar após a denúncia, feita na última sexta-feira (20). A mudança no comportamento das estudantes foi percebida pela diretora há alguns meses.

Inicialmente, ela achou que era por causa da pandemia do coronavírus, que provocou isolamento social por cerca de 2 anos antes de as aulas voltarem na forma presencial.

"A gente percebeu que elas mudaram. Estavam mais tristes, mais caladas, retraídas. Como a Assistência Social vem uma vez por semana conversar com os alunos, a gente relatou essas mudanças. Houve palestra sobre conscientização contra o abuso sexual, e elas acabaram denunciando após o evento", explicou a diretora.

Algumas meninas contaram que sofreram abusos recentemente. Outras, há alguns anos. O g1 tenta falar com o delegado André Fernandes, que investiga os casos, desde o último domingo (22), quando foram divulgados, para saber detalhes dos relatos, mas não teve retorno até a última atualização desta reportagem.

As denúncias surgiram após o Instituto Family fazer palestra sobre o tema, com apoio da Polícia Militar. O diretor da entidade, Samuel Rolindo, que participava do evento, disse que cinco alunas do Colégio Rui Barbosa o procuraram para denunciar casos de abusos que elas tinham sofrido.

Ainda não há um número exato de quantos casos foram relatados e quantos estão sendo investigados, segundo a entidade.

Mas com a iniciativa das primeiras vítimas, outras meninas que são amigas ou familiares delas também se encorajaram e relataram terem sido vítimas (veja mais abaixo o caso de um homem que foi preso).

Segundo a diretora Paula Nascimento, houve reunião com os professores e todos concordaram em repor as aulas perdidas pelas meninas e dedicar tempo extra ao aprendizado delas. "Estamos só esperando elas voltarem para iniciar o projeto pedagógico especial", comentou a diretora.

Servidor teria abusado de filha

Um dos relatados de abuso foi divulgado pelo Instituto Family. É o caso de um ex-motorista da Prefeitura de Campo Limpo de Goiás, suspeito de abusar sexualmente da filha, da enteada e mais duas parentes. Ele trabalhava na Secretaria de Saúde desde 2021 e foi exonerado após as denúncias.

"Ele é suspeito de abusar da filha, que é aluna da escola, a enteada, de 5 anos, e mais duas outras parentes deles. Dessas, três estudam no colégio onde foi feita a palestra", disse o diretor do instituto.

Apoio

A diretora do colégio, Paula Augusta do Nascimento disse que foi pega de surpresa com as denúncias e nunca imaginou que as alunas pudessem estar sofrendo esse tipo de crime.

"Esse tipo de orientação é muito importante. Se não tivesse esse momento, até quando essas meninas sofreriam esses abusos?", questionou a diretora.

A secretária de Assistência Social, Neusa Messias, disse que as vítimas e as família vão receber acompanhamento psicológico. "Nós vamos encaminhá-las para o Cras [Centro de Referência de Assistência Social], a família será acompanhada pela equipe técnica, de assistência social e psicólogos. Também temos o apoio da Secretaria Municipal de Saúde, que conta com psicólogos", disse.

Palestra

As palestras sobre Conscientização contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes aconteceram entre segunda-feira (16) e sexta-feira (20). O evento foi organizado em conjunto pelas escolas municipais e pelo colégio estadual.

"É importante se falar sobre o assunto nas escolas. Diariamente, crianças e adolescentes sofrem abusos e não sabem que são vítimas. Elas acham que é apenas quando há a penetração, mas existem outras formas de abuso. Por isso, a importância de se falar sobre educação sexual e quebrar tabus", disse o diretor do Instituto Family, Samuel Rolindo.

Samuel disse ainda que pessoas que queiram denunciar algum tipo de abuso sexual podem ligar para o Disque 100 ou então para o próprio instituto, pelo telefone: (62) 9.9579-9760.

Nota da Prefeitura de Campo Limpo de Goiás

Na última semana foi realizado no município uma ação, em parceria com as secretarias municipais, Juizado da Infância e da Juventude, Polícia Civil, Conselho Tutelar e Colégio Estadual, para o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Logo após as palestras realizadas pelos delegados e agentes da Polícia Civil e do diretor do Juizado da Infância, alguns dos adolescentes que assistiram as palestras procuraram o juizado e a Polícia Civil e fizeram denúncia de abuso sexual contra as mesmas.

Ao saber das acusações e que um dos acusados era servidor comissionado do município, de imediato a prefeita determinou a exoneração dele.

A prefeita já solicitou à Secretaria Municipal de Assistência Social e à Secretaria Municipal de Saúde, que disponibilize uma assistente social bem como uma psicóloga para estarem acompanhando as crianças e adolescentes abusadas e suas famílias.

A prefeitura informa ainda, que essa ação não se findará com esses casos e que estará, incansavelmente lutando contra este tipos de abusos e que acompanhará de perto os processos abertos contra esses abusadores para que não fiquem impunes aqueles que forem comprovadamente culpados.



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



SEGURANÇA   |   22/05/2022 11h25

Campo Limpo de Goiás - GO
 




SEGURANÇA   |   05/07/2021 17h16

Campo Limpo de Goiás - GO
 

SEGURANÇA   |   25/06/2022 17h30

Aparecida de Goiânia - GO