GERAL

Mãe diz à polícia que abandonou bebê em obra porque engravidou após ser estuprada, em Cristalina
Criança está sob cuidados da assistência social do município. Vídeo mostra o momento em que a bebê é resgatada ainda com o cordão umbilical


Bebê é encontrada abandonada com cordão umbilical em obra em Cristalina, Goiás - Foto: Divulgação/ Polícia Militar

A mãe que abandonou a filha recém-nascida em uma obra de Cristalina, no Entorno do Distrito Federal, disse à Polícia Civil que tomou a atitude porque engravidou após ser estuprada e escondeu da família a gestação pelos nove meses. Um vídeo registrou uma moradora resgatando a bebê após ouvir o choro dela.

A mulher, que tem 32 anos, recebeu alta do hospital municipal nesta semana, prestou depoimento e foi embora. Ela não foi presa.

O delegado Juliano Campestrini informou que trata o caso como abandono de bebê. A criança está sob cuidados da assistência municipal do município após ser encontrada no domingo (9).

"Ela informou que a gravidez era, de fato, indesejada e não queria a criança, tendo em vista que ela é fruto de um abuso sexual ocorrido em outro estado. Diante disso, ela optou por esconder a gravidez", detalhou o delegado.

A investigação será aprofundada para confirmar a veracidade do estupro. O delegado explicou que, com a apuração prévia do abuso sexual, é preciso ter cautela para delimitar a conduta da mãe.

A polícia não divulgou em qual estado ela disse ter sido estuprada, bem como o grau de proximidade entre ela e o suposto abusador, para não atrapalhar a investigação.

 
Resgate da bebê

A cuidadora de idosos Conceição Rodrigues contou que os filhos acharam a bebê abandonada na obra ao ouvirem o choro enquanto brincavam no local. Os meninos chamaram a mãe para ajudar nos primeiros socorros.

“Eles foram correndo me chamar dizendo que acharam um bebê. Até achei que era mentira, mas vi o desespero e fui correndo. Peguei ela no colo e na hora que deu uma mexida, falei: ‘está viva”, detalhou a cuidadora.

A criança foi encontrada com sinais de hipotermia, que acontece quando a temperatura do corpo está muito abaixo do normal.

O cabo da Polícia Militar Vagner Alcântara Oliveira, que participou dos primeiros socorros na casa da Conceição, disse que conversou com a mãe da criança e, inicialmente, ela negou o abandono, mas depois admitiu.

“Ela relatou ser a mãe e abandonou a bebê porque, segundo ela, os familiares não sabiam da gravidez e ela estava com medo de contar", esclareceu o policial.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



GERAL  |   19/01/2022 01h19

Goiânia - GO
 




GERAL  |   19/01/2022 01h13


GERAL  |   18/01/2022 11h40

Aparecida de Goiânia - GO