SEGURANÇA | Roubo

Polícia Civil está investigando o caso do corpo de um idoso que teria sido roubado do necrotério
Após passar mal e falecer José Guedes teria tido seu corpo roubado dentro do IML.


Foto reprodução: TV Anhanguera

A polícia Civil está investigando o caso do cadáver que foi retirado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Itaipu, nesta segunda-feira, 22. O corpo de José Guedes, de 69 anos, desapareceu do local no necrotério da unidade e foi encontrado em uma maca atrás da UPA.

A polícia acredita que alguém tentou jogar pelo muro um cadáver de cerca de 60 quilos, mas não conseguiu. O senhor faleceu no, domingo, 21, em uma clínica de reabilitação, onde tratava de alcoolismo.

Os medicas da UPA até tentaram reanimá-lo, mas infelizmente não conseguiram. Levado ao necrotério, o corpo teria sido retirado do local por das 2h da manhã após uma longa procura, os médicos encontraram o corpo atrás da UPA com o auxílio da Polícia Militar (PM).

Segundo Carlos Alfama, chefe da polícia civil que investiga o caso, não há evidências de que José tenha sofrido uma morte violenta. De acordo com os médicos o idoso teria passado mal e sofrido uma parada cardíaca.

Para o avanço da apuração, o investigador aguarda o laudo.

“Aparentemente ele morreu de causa natural e alguém tentou subtrair seu cadáver do necrotério. Tem lesões no corpo da vítima, mas, aparentemente são lesões do transporte do corpo já sem vida. Não há indícios de maus-tratos, nem de homicídio”, afirmou o delegado ao mais Goiás.

Agora a Polícia Civil, trabalha para descobrir quem tentou furtar o corpo da UPA. Os militares conversaram com outros pacientes da clínica onde José tratava, mas todos negaram que sofrem agressões ou qualquer tipo de maus-tratos no local.

De acordo com os familiares, até agora foram contadas várias versões sobre a morte, uma delas é que inclusive ele teria chegado vivo à unidade. As filhas disseram que a recuperação do pai ia bem e que ele receberia alta da clínica em janeiro.

A Secretaria Municipal de Saúde notificou por meio de nota que estava acompanhando o caso e designou uma equipe técnica para apurar o ocorrido. Ainda de acordo com a prefeitura embora as câmeras estejam instaladas na UPA, elas não funcionam bem.

Eles informaram ainda que a secretaria fechou um contrato com uma empresa especializada em serviços de monitoramento e segurança eletrônica e, em breve, todas as unidades de emergência serão monitoradas 24 horas por dia.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



SEGURANÇA   |   03/12/2021 19h50

Goiânia - GO
 




SEGURANÇA   |   19/11/2021 18h31

Goiânia - GO
 

SEGURANÇA   |   19/11/2021 00h02

Goiânia - GO