BRASIL | Pandemia

Fiocruz teme que a nova onda de covid na Europa chegue no Brasil
A Fiocruz criou um alerta sobre o relaxamento das medidas protetivas contra o covid-19.

A Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) intensificou o alerta sobre a situação da nova onda de pandemia na Europa, e reforçou que algum país europeu vem apresentando um aumento no número de casos mesmo com as taxas de vacinação maiores que o Brasil.

O Boletim do Observatório da Covid-19 divulgado, nesta quarta-feira (17), enfatizou que a doença continua sendo um grande desafio e o aumento causa uma grande preocupação um grande desafio e a volta das medidas restritivas em diversos locais da Europa nos últimos dias vem causando medo.

O aumento do número de casos e de mortes em alguns países europeus ocorre principalmente naqueles em que a cobertura vacinal não está 100% completa. A atual situação desses países, que vem sendo chamada de “pandemia dos não vacinados”, tem servido de alerta para a questão do avanço da vacinação nessas nações em que parcelas da população não vacinada vêm apresentando alto número de casos de covid-19.

“O Brasil hoje possuí cerca de 60% total da população com esquema vacinal completo, com uma estimativa de 1.15 óbitos por milhão de habitantes, segundo dados disponíveis Our World In Data. Entretanto, outros países como Áustria, Lituânia e Alemanha, com percentuais maiores da população vacinada (63,7%, 65,2% e 67% respectivamente), vêm não só enfrentando um grande crescimento de internações, principalmente entre os não vacinados, mas também no indicador de óbitos por milhão de habitantes, que se encontra em 2.23 para Alemanha, 4.00 para Áustria e 10.62 para Lituânia”, destacou a Fiocruz.

Abandono de máscaras

Os pesquisadores chamaram a atenção para o abandono de mascará no Brasil e das medidas protetivas, e principalmente no relaxamento do distânciamento social. Segundo os cientistas, além da baixa taxa de participação da população, essa situação reflete principalmente nos entraves para sua adoção por governos em todos os níveis.

Pesquisadores do Observatório da Covid-19 da Fiocruz afirmaram com certeza: “É claro que a vacinação nada tem a ver com outras recomendações, não medicamentosas, não é suficiente para determinar o fim da pandemia”.

Com o aumento da cobertura vacinal, o Observatório vem seguindo o padrão dos indicadores de distanciamento social. Um valor negativo significa que há mais tráfego nas ruas do que no período anterior ao início da pandemia. Já os valores positivos indicam que as pessoas estão mais isoladas em casa.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






BRASIL  |   06/12/2021 10h10

Brasília - DF